sábado, 23 de julho de 2011

Almálialusa.


















A devoção numa voz
com as guitarras gemendo
as talhas do seu caixão
que em nós ficou doendo.

9 comentários:

Soledade Martinho Costa disse...

Pequenina, mas sentida homenagem, Ibel! Amália bem a merece...
Beijinho da Sol

Gizelda disse...

Eu a vi em um show intimista em S.Paulo.Estava a alguns metros de mim.Lembro-me do pente nos cabelos, na boca rubra , das mangas bufantes da blusa cor de vinho, mas...sua música era a especial : um lamento, mesmo quando a canção era alegre.
Foi há muito tempo.

Inesquecível.

Beijos, Ibel.

Beijos Ibel.

Anónimo disse...

Belíssimo.

Gostei do texto e do enquadramento. Simplesmente perfeito.

Jovem quando começou
Na sua voz comovida
O País inteiro encantou
Foi assim a sua vida

Ainda hoje lembrada
Mulher de corpo inteiro
Naquela voz timbrada
Levou o fado ao estrangeiro

E com o fado foi o País
E a nossa palavra saudade
Foi ouvida e deixou feliz
O que fomentou boa amizade

Entre ...

Desculpe-me a ousadia.

Aceite os cump do
JBS

tecas disse...

Com poucas mas sentidas palavras, uma bela homenagem à diva do fado.
Bjito amigo e uma flor.

AC disse...

Todo um imenso sentir em breves palavras. É assim o talento.

Beijo :)

E.A. disse...

Ibel,

Tão longa a ausência. Mas existo ainda. Faz-me falta a minha fada madrinha e as suas palavras tocadas :)

Um carinho,
Elisabete

E.A. disse...

Ibel,

Tão longa a ausência. Mas existo ainda. Faz-me falta a minha fada madrinha e as suas palavras tocadas :)

Um carinho,
Elisabete

disse...

Ibel,
Eu sei que a Amália merece tudo. Também merece a sua homenagem. Mas, perdoe-me a veleidade, pareceu-me sentir alguma amargura pessoal. Oxalá esteja enganado mas, se estiver certo, só lhe peço que resista. O desânimo é uma dor insuportável.
Beijinhos
Caldeira

E.A. disse...

Ibel,

Preocupou-me o comentário que me deixou. Eu espero que se encontre bem de saúde. Não publique.
Deixo um beijinho com todo o carinho do mundo,