terça-feira, 14 de maio de 2013

Madrigal

Escrevo o meu poema
com letras de saudade
em pasto de ternura
escrevo o meu poema com verdura
essa aveludada voz de verdes
em montes surreais
escrevo o meu poema e nada mais
que hoje repouso
a espada e a guerreira
para que seja madrigal
esta saudade à tua beira.
maria isabel fidalgo

Solidão

a solidão como ausência é uma ferida instalada. anda por dentro dos dias vagarosa. descai lentíssima para a música da sombra.

Mif

Caravaggio- o grande representante italiano do estilo barroco

Colinas

as colinas são a noite nos rochedos a poisar nos seus segredos.
sobre o mar uma laranja estoira de luz.
beijam-se amorosamente nas águas do poente.
não há vício mais puro nem perfeito que estas bocas fundidas de fogo e liquidez azul.