terça-feira, 28 de abril de 2009

AINDA TEMPLO



Ainda templo, mãe,
a quente alegria
desse ventre,
concha limpa,
branco tempo,
onde de rosas
teu odor foi canto
e meu sustento.

Tenho água na saudade
e só não grito
para não acordar
o teu sono repousado
nesse cais estrelado
em que te habito.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

CHÁ D'ABRIL


Ah tragam-me um chá
Um chá urgente de menta
Ou pimenta preta
Ou cidreira ou tília
Um chá de sabor a terra
De eucalípto ou oliveira
Numa chávena de Abril.
Ah, tragam-me um chá
Com aroma a cravo
Também pode ser
Um chá em clave de Sol
Ou em mi(m) maior
Ah tragam-me um chá
De todas as maneiras
Com aroma verde
Em vaso de esperança
Também pode ser
Tenho sede
Ah tragam-me um chá
De aroma de maçã
Que o chá aquece
A alma que fenece
No frio deste Abril
Em que um cravo canta
Esganado na garganta.